segunda-feira, novembro 20, 2006

a um passo do paraíso

paixão que leva
do nada a lugar algum

sonho que insiste
em fugir pela janela
antes da hora

aromas da infância
esquecidos na dobra do tempo

segredos
que os olhos da amada
escondem

feridas que se abrem
em noites de ausências

velas abertas
à espera de vento
para se lançar ao mar

desejo que resiste
sobre as cinzas da paixão

o que separa o poeta
do paraíso
é só um passo no escuro.

© Ademir Antonio Bacca
do livro “O Relógio de Alice”

4 comentários:

Graça Carpes disse...

A questão está é no tamanho do passo - risos.

Gostei também do título do

livro: “O Relógio de Alice”.

Apareça no Pulsar Poético.

:)

além mar peixe voador disse...

Lindo Ademir Poetamigo,
muito inspirador
soprado sonho
ao vento
no escuro aparente
brota
semente luminosa
do futuro
afetuoso abraço,
virgínia além mar

Anônimo disse...

"paixão que leva
do nada a lugar algum"

Belissimo!

Bjinho,

Fatima/Caocompulgas

Anônimo disse...

Li teu trabalho, gostei muito!