quarta-feira, novembro 15, 2006

muita vida
já me fugiu
por entre os dedos

muito sonho
bateu em minha porta
entrou e ficou
enquanto a vida
seguiu seu rumo

muito tempo
já gastei
correndo atrás
da emoção
de dar sentido
à vida.

© Ademir Antonio Bacca

2 comentários:

Marta disse...

Olá amigo, vim te visitar. Texto expressivo... quem não passou por isso?
Te deixo um abraço e levo a leveza do poema! Percebi q ñ sou a única a ter a vida escoando como grãos de areia entre os dedos.
Parabéns pelo dom ... obrigada por compartilhá-lo conosco.

Eliana Mora disse...

Tem a ver com a citação [boa] de GR, abaixo - para mim, tem.
Nem sempre estamos 'pouco atentos' como seria bom "para a vida acontecer"...

Gostei do teu lugar
beijos
El


http://elpoeta.multiply.com