sexta-feira, outubro 20, 2006


Ora direis, colher pitangas

No dia nacional do poeta, ao invés de palavras, fui colher pitangas. Surpreendido ao chegar na casa da minha mãe com um pote de pitangas maduras sobre a mesa, me dei conta que a vizinha dela, Natalina, tem algumas pitangueiras no quintal e uma delas, carregadíssima. Todas maduras, pedindo para serem colhidas. Aí me lembrei dos poetas que todos os anos nos ajudam a plantar uma pitangueira, árvore símbolo do Congresso Brasileiro de Poesia e lembrei ainda da cachaça típica mineira que o Hugo Pontes me trouxe e decidi que a tarde era ideal para colher pitangas.
Com a ajuda do Piriquito (Dom Quixote tinha o Sancho Pança, eu tenho o Piriquito) empoleirado sobre uma escada, não foi tão demorado encher uma sacola de deliciosas pitangas, que terão a missão de entrar em tempo de maturação para esperar os poetas no próximo congresso, em forma de licor.

16 comentários:

além mar peixe voador disse...

Ademir querido
Atitude PoÉtica !
Grata por compartilhar
momento delicioso..
Me aguarde com esta ardenciapitanguística em 2007 !

bjs tua sempre
grata amiga e leitora,
virgínia além mar ( peixe voador )

Joana D'arc disse...

Preciso me preparar, para o ano que vem, brindar ao sabor de pitangas....bjusssss e parabéns pelo teu dia

maria edilia disse...

Imagina se vou deixar de tomar desta cachaçinha bem apitangada!!!
Ademir delícia tua atitude ,me lembrou o tempo da infância no qual brinquei muito de colher pitangas na no sitio do tio Milton.
ME AGUARDA QUE 2007 ,viu?
Tua graça me abraça
Saudações Poéticas,
M.Lia (FADA AZUL)

maria edilia disse...

Imagina se vou deixar de tomar desta cachaçinha bem apitangada!!!
Ademir delícia tua atitude ,me lembrou o tempo da infância no qual brinquei muito de colher pitangas no sitio do tio Milton.
ME AGUARDA QUE 2007 ,viu?
Tua graça me abraça
Saudações Poéticas,
M.Lia (FADA AZUL)

Verluci disse...

Ademir... BOM DIA!
Certeza tenho de que tomarei deste delicioso licor! A foto ficou ótima! Dá vontade mesmo de colhê-las!

Beijo
Verluci Almeida

Selma Regis disse...

Que delícia de licor! Mal posso esperar para experimentar mais essa maravilha do Sul. A foto da pitangueira também está (nada menos que) de-li-ci-o-sa (risos).
Saudade de ir na praia para colher pitangas aqui na restinga em Macaé. Ainda rolava uns beijinhos-sem-pai-ver... Adolescência gostosa, ai saudade...

Margit didjurgeit disse...

no aparador
descança a cachaça
pitangas maduras

Um beijo desde Blumenau e obrigada por partilhar mais uma vez sua colheita, embora virtual, senti o sabor.
Espero que no ano que vem, eu possa partilhar das pitangueiras e das cachaças de pitanga.
Margit

Andréa Motta disse...

Bom dia!! Bem eu não bebo nada alcoolico, mas certmente estarei aí fazendo companhia aos amigos! Bom final de semana, beijos. Andréa

Benvinda Palma disse...

Lindo poeta!

Quanta doçura em teu viver poético! Quanta delicadeza...quanto amor em teu coração! Coincidência ou não... em casa de minha mãe a pintangueira está repleta de frutos... e, com elas, adociquei minha boca e transferi para meus versos o seu sabor!

Beijos

Veneranda Pedroza disse...

Pelo andar da carruagem o licor será pouco...rs
Nos aguarde em 2007!

Beijo grande desta tua amiga e fã,

Veneranda

Em tempo: Também tenho boas lembranças com pés de pitanga, pena que aqui em Sampa seja cada vez mais raro encontrá-los. Ainda bem que os amigos são generosos...

MariaAngélicaBilá disse...

Que lindo, Ademir, as fotos, o texto eo o gesto.
N via expressa onde morei, havia restos de entulho onde ratazanas faziam morada; então convidei uns vizinhos e, junto ao que aceitou, plantamos árvores e flores, entre elas, duas pitangueiras que repartem frutos ( pequenos, mas saborosos) com adultos e as crianças a caminho da escola.
Já me preparo para participar do brinde .
Bjus

** Gaivota ** disse...

..
Vermelhas
vibram sabor
escorrem desejos
entre cor tadas
palavras
esperam o dia
da maturação..
** Gaivota **

Ademir, é a segunda vez que entro no seu blog, e fiquei com louca vontade de morder pitangas, guardadas tão doce afeto.
Grande poeta é um prazer dividir momentos, vou tentar ir a Bento no próximo ano.

vαℓéя!α tαяeℓhσ disse...

Ade, reserve minha dose (a da Andréa também, faço o sacrifício de tomar por ela ;))!
A foto está incrivelmente tentadora, parabéns!

Beijo!

Geórgia disse...

Que beleza de momento, que beleza de foto, poeta! Beijo.

fatimaborchert disse...

Ôba!!!!!!!!
Além do vinho e do bar da esquina, no próximo ano, teremos licor de pitangas! Aí é que os poetas ficarão tresloucados como nosso amado Bilac. Amei a chamada. Parabéns! Bjos

Christina M. Herrmann disse...

Ora... Pitangas!!! rs... Se eu já adorei estar em Bento este ano, com poetas amigos tão queridos como você, Ade, e Hugo Pontes, Adréa Mota, Valéria Tarelho, Edília, Virgínia, Paulo Ednilson, Val Rocha, Ludiro, Artur Gomes, Jiddu Saldanha, May, Claudia Gonçalves, Julio Almada, Gilberto Maha, e tantos outros... Imagine se vou perder a chance de ir novamente ano que vem, curtir esse clima agradabilíssimo e ainda, provar desse licor maravilhoso? Estou um pouco longe, mas ainda sou brasileira :-)
Beijos!
Chris