quinta-feira, outubro 26, 2006

do homem

Ser forte
como o velho carro de bois
que geme suas dores
mas não se rende
ao caminho,

esta a obrigação do homem

ser frágil
como a folha de papel
entregue ao vento

esta a condição do homem.

© Ademir Antonio Bacca
do livro “O Relógio de Alice”

2 comentários:

Christina M. Herrmann disse...

Muita poesia nessas palavras. Gostei demais!!

Beijos, meu amigo.

Chris

Sabrina disse...

Olá amigo...Tá´lindo seu espaço, cheio de lindas imagens e belas palavras..."As estradas que não percorri foram aquelas que me cansaram mais." gostei bastante desta, é uma frase que traz reflexão,parece um pouco filosófica...Parabéns amigo!