quinta-feira, outubro 19, 2006


Ode ao Vinho

©ARTUR GOMES

para Ademir Bacca
meu irmão de poesia e vibração


vinho é tudo quanto bebo
tinto branco branco tinto
especialmente o brasileiro
das cantinas das colônias
das uvas finas de Bento
bebida de zeus e de baco
deuses do olimpo e do sacro
líquido com que me alimento
em festa e consagração
qual uma doce eucaristia
em comunhão feito missa
a celebrar poesia

da uva a seiva o fermento
o sagrado tempo da cura
até os lábios no cálice
sorver a santa doçura
na língua e no pensamento
vinho eu bebo rezando
em juras de amor ao momento
de olhos sorrindo pros céus
benditas mãos sejam tantas
as que trabalham os vinhedos
e sabem do fruto o sagrado
colher o milagre entre os dedos

8 comentários:

solfirmino disse...

Evoé Baco!

Chris Herrmann disse...

Bela e merecida homenagem.
Prost!

Anna D' Castro disse...

Belo poema, inspiração digna do Baco/Artur e merecida homenagem a vc, ao Congresso e as gentes Sul Riograndenses, gente muito bacana. Para o ano quero resolver a minha vida para poder disfrutar esse convívio salutar com todos os nossos amigos.
Parabéns a vc Bacca, grande defenser e impulsionador de cultura de Bento Gonçalves.
Meu carinhoso abraço.
Anna

Clauky Saba disse...

di-vino!

Ludiro disse...

Encantador, uma mística envolvente, deuses gregos e o vinho trazendo o perfume da uva nas narinas dos leitores!
Oh, merecida és Bento Gonçalves acolhedor!

^^Ludiro^^

Andréa Motta disse...

Artur sempre inspiradissimo!!
Belo poema..grande homenagem ao você amigo Ademir e a esta cidade que nos recebe anualmente com tanta hospitalidade e generosidade. Beijo, Andréa

Verluci Almeida disse...

Ademir, BOM DIA!!!
Que linda poesia do Artur!
Adorei estes versos:

líquido com que me alimento
em festa e consagração
qual uma doce eucaristia
em comunhão feito missa
a celebrar poesia...

Muito, muito feliz estou... recebi a encomenda e 'Meu Narciso' está muito feliz!

Verluci

Rejane Romani Rech disse...

Ade,
Feliz com a homenagem?
Bem sabe teu amigo: um dia sem um gole de vinho é como um dia sem sol.
Abraço
Reja