sexta-feira, dezembro 08, 2006

pra gente ser feliz

desatar o nó,
abrir a porta,

todos os nós
todas as portas

botar o pé na estrada
e evitar armadilhas noturnas
com a habilidade daqueles
que conhecem
o fio de arame em que pisam

libertar o medo,
abrir a gaiola,

todos os medos
todas as portas

e nunca mais correr
atrás do arco-íris.

© Ademir Antonio Bacca
do livro “Plano de Vôo”

2 comentários:

thiago Allexander disse...

é isso aì poeta, somos educados para o medo, mas permanecer preso a antigos paradigmas e tolice e atraso.
Como tudo sofre distorções nesse sistema, temos que reconstruir algumas ideias e buscar maior controle dos fatos um grande abraço.
sua poesia fala coisas boas e é boa.

Simone disse...

OI Ademir
Adorei seu blog, está muito bom!
Agora esse poema pega na veia...
beijos
longa vida a seu blog !!!