quarta-feira, abril 12, 2006

dos rituais


celebrar a palavra
todos os dias

armar o dia
de todas as palavras

abrir os olhos
para todos os sentidos

celebrar o amanhecer
de cada sonho
com todas as palavras.


© Ademir Antonio Bacca
do livro: “Pandorgas ao Vento”

Um comentário:

MariaAngélica disse...

É Ademir, palavras são nosso instrumento; devemos celebrá-las, utilizá-las, domá-las para que digam o que nossos sonhos querem exprimir.
É lindo esse poema.E o outro. E o outro.
Você tem o dom de dominar as palavras e transformá-las em todos os sentimentos, momentos, como quadros em escrita.
Estou gostando muito de ler você.