segunda-feira, maio 22, 2006

ARTUR GOMES DE NOVO
Já deixei escrito em algum canto deste meu blog a admiração que tenho pelo poeta ARTUR GOMES, sem dúvidas hoje o grande nome da poesia alternativa brasileira. O Cd dele “Fulinaíma Sax, Blues & Poesia”, já gastou de tanto que rodou aqui em casa. Há muitos anos venho ouvindo belíssimos poemas ditos por ele, seja no Congresso Brasileiro de Poesia, no bar da esquina do SESC ou mesmo aqui em casa, nas vezes em que ele está em Bento Gonçalves e nos damos o prazer de conversar inúmeras garrafas de vinho e uma picanha no disco.
Gosto de muitos, mas este poema é, sem dúvidas, o meu preferido:

Alucinações Interpo(É)ticas

o que é que mora em tua boca Bia?
um deus um anjo ou muitos dentes claros
como os olhos do diabo
e um a estrela como guia?
o que é que arde em tua boca Bia?
azeite sal pimenta e alho
résteas de cebola
um cheiro azedo de cozinha
tua boca é como a minha?
o que é que pulsa em tua boca Bia?
mar de eternas ondas
que covardes não navegam
rios de águas sujas
onde os peixes se apagam
ou um fogo cada vez mais Dante
como este em minha boca
de poeta delirante
nesta noite cada vez mais dia
em que acendo os meus infernos
em tua boca Bia?

© ARTUR GOMES

Um comentário:

Rejane Romani Rech disse...

Ade,

Tive o prazer de conhecer Artur Gomes na biblioteca aí de Bento, enquanto também "conversamos algumas taças de vinho".
Se há uma letra do seu CD que me sensibiliza e emociona demais é esta:

Eu e você

Eu queria olhar para os campos
e poder te encontrar
cavalgar sobre os teus sonhos
e desvendar teus mistérios

como são lindos os seus olhos
em lágrimas sobre os meus
como é divino nosso espírito
e tão covarde nossa mente
...
ah! eu e você
eu e você

A música é tão suave quanto a voz do teu amigo poeta.
Abraço
Rejane