sábado, março 17, 2007

o poema não é bolero
duas palavras pra lá,
duas pra cá,
fácil de dançar

no poema,
a boa palavra desliza
com desenvoltura
pelo retângulo de papel
que a noite estende
diante do poeta.

o poema não é bolero
duas palavras pra lá,
duas pra cá
nem que tem que ser
obrigatoriamente triste

todo poema
é teia de emoções
difícil de se safar.

© Ademir Antonio Bacca
do livro “O Relógio de Alice”

2 comentários:

Karla disse...

É difícil a gente se safar de suas poesias, então, vamos dançar!! =) abção!

Marisa disse...

Adorei!
Bj
.