terça-feira, junho 24, 2008

poema inacabado

vem do nada
a melodia que embala a noite
de pouca ternura

o mar lambendo a praia
sob os meus pés
(des)armados os espíritos,
a música não revela os segredos
daquela que vai embora
levando todas as palavras
do poema

© Ademir Antonio Bacca
do livro “Grito por dentro das palavras”

4 comentários:

SAM disse...

Há dias assim... Belo poema, Ademir.

Abraço

verluci disse...

daquela que vai embora
levando todas as palavras
do poema

daquela que ao partir
leva consigo a palavra alegria...

ahahahah... sempre tenho vontade de continuar teus poemas... acho que ganharíamos Concurso lá na Navegantes das Estrelas no Concurso de Parcerias, da Maria Eugênia. Este mês escreveremos um para próximo... eu e Tonho França.

Marli Reis disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marli Reis disse...

Ternura suficiente para tão bela inspiração!