sábado, fevereiro 10, 2007

isca

a
poesia
é
anzol
jogado
ao
acaso
no
meio
da
vida

© Ademir Antonio Bacca
do livro “O Relógio de Alice”

Um comentário:

Mônica Montone disse...

Que bonito, Bacca!!!

É um anzol que prende para sempre :O)

beijos

MM

www.finaflormonicamontone.blogspot.com