sábado, junho 03, 2006

armistício

nenhum gesto
que não acariciar teu rosto

há em mim
intenções de sossego

nenhum movimento
que não desnudar teu corpo

há em mim
intenções de paz
apesar da palavra
engatilhada

© Ademir Antonio Bacca
do livro: “Pandorgas ao Vento”

2 comentários:

Clauky Saba disse...

a palavra... sempre engatilhada!

principalmente por aqui!

Anna D' Castro disse...

Oi Ademir como seria bom, se todos ou pelo menos a grande maioria, decretasse o Armistício em seus corações para que haja a sonhada paz que todos desejamos... Mas pelo menos a palavra engatilhada de amor, já é uma vitória. Parabéns por este lindo poema.
Beijos e votos de saúde.
Anna