sexta-feira, março 07, 2008

gritos por dentro das palavras

que gritos
esconde por dentro
a palavra quando cala?

que emoções
prende dentro de si
o coração quando para?

que medos
traz escondidos em si
o corpo quando fala?

que palavras
esconde a língua
quando não fala?

que mistérios
esconde a noite
quando ela absorve o dia?

que segredos
escondem as janelas
quando se fecham, caladas,
ante nossos passos?

tantos gritos
tantas emoções
tantos medos
tantos mistérios
tantos segredos
tantas palavras
aprisionados
dentro de cada corpo
que cala

© Ademir Antonio Bacca
do livro”Gritos por dentro das palavras”

9 comentários:

Benvinda Palma disse...

Belíssimo poeta, mestre da palavra. Parabéns!Poetabeijos/bemtevii

Andrea Motta disse...

Querido Ademir,
Eu também gostei muito deste poema,
parabéns!!
bom final de semana,
beijos
Andréa

SAM disse...

Sim...Quantos gritos por dentro das palavras!

" Emoções, medos, mistérios,segredos..."

Tantos são os que se calam; maiores os que se escondem.

Belíssimo poema!

Abraço.

Ricardo Mainieri disse...

O homem se expressa com ou sem palavras.
O gestual, o não-verbal contém carga de informação tão valiosa quanto a palavra dita.
Na sociedade em que vivemos muitas vezes nos calamos, mas a palavra implode dentro de nós...
Belo poema.

Abraço.

Ricardo Mainieri

Guilherme Mossini Mendel disse...

Oi, Ademir!
Muito bom esse poema!
Gostei mesmo!

Bem engenhoso, significativo...
Também, gostei bastante daquela imagem das maçãs. Muito legal!

Até mais!
Abraço!

Cassiane Schmidt disse...

Oi Ademir,
que maravilha poder vir aqui te ler; Sem palavras teu poema, cheio de vida, escorre pelos olhos, faz salivar o coração.

Abraços querido!!!

Pedro P. disse...

Olá! Gostei de sua poesia!

Cida fatima disse...

Sim meu caro poeta, estamos sempre calando nossos gritos...
Belíssimo poema...
Parabens!
Beijos
Cida fátima

Andrea Lucia disse...

Ironicamente, fiquei sem palavras!! Maravilhoso!!
Beijos,
Andrea.