sábado, maio 05, 2007

redescubro segredos nossos
em meio a antigas lembranças
que fogem da caixa de pandora
esquecida no fundo do armário

nas juras até então secretas
que fogem pela janela aberta,
estão todas as palavras
que não conseguimos salvar
do incêndio emocional
que queimou nossos sonhos
adolescentes
e ao abrir a janela dos meus dias,
descubro no que sobrou no fundo
da caixa de lembranças
que por mais frágil
que seja o sonho da madrugada,
ele sempre se renova ao amanhecer.

© Ademir Antonio Bacca

11 comentários:

verluci almeida disse...

adoro ler poemas seus.
Aí me dá vontade de escrever... acho que faríamos belas parcerias lá nos Concursos de Parcerias da Navegantes.

Lembranças

Sonho jardins encantados.
No sono da madrugada
redescubro segredos.
Recordo juras secretas
antigas lembranças...
- às vezes o dia tem cheiro de ontem.

Verluci Almeida 06-05-2007

Deia Leal disse...

Olá Ademir Antônio

Gostei muito de seu blog e seus poemas.

"sonhos não envelhecem, mesmo engavetados no fundo do baú..."

Andreia Donadon Leal - Déia Leal
Cónsul de poetas del Mundo - Mariana - MG

Visite também nosso site:

www.jornalaldrava.com.br

Carolina salcides disse...

Linda poesia... que seus sonhos se renovem em cada amanhecer
Que abras sempre a caixa de pandora, sem medo, pois sempre crescemos com as experiências e situações...

Gostei da imagem, parabéns,

Carolina

Mônica Montone disse...

Nossa, que bonita a forma como finalizou o poema, Bacca :o)

beijos

MM

Carol Montone disse...

Que bonito Ademir, como sempre aliás........por que será que os incêncios emocionais são inevitáveis hein????somos pura fagulha mesmo....adoro finais esperançosos...lindo
um beijo
Carol Montone

SAM disse...

Que linda...estas caixinhas nos vêm a memória, independente do medo e do sentimento que nos causa. Talvez porque seja o alimento da alma e fortificante do espírito...


Um bom poema é aquele que nos dá a impressão
de que está lendo a gente ... e não a gente a ele!

(Mario Quintana - A vaca e o
hipogrifo )


Abraço fraterno, Bacca!

Isnelda disse...

Muito bonito teu poema Ademir.
Quanta saudade do amor adolescente, esta chama que jamais se apaga dentro de nós.

Isnelda.

Izelda Maia disse...

Lendo essa poesia me vi abrindo minha própria caixa caixa...

Abraços, poeta!

Luiza De Marillac Bessa Luna Michel disse...

Meu caro Ademir Bacca,
Amei seu site, e esta
linda"caixa de pandora"
será inesquecível, para
mim, parabéns. Sua admiradora
e colega em poesias,
Luiza De Marillac Bessa Luna Michel

www.planetaliteratura.com
Colaboradora

www.poetasdelmundo.com
Cônsul de São Paulo - Centro

A Sonhadora disse...

É verdade...cada dia é um novo dia, com novos desafios...
Grande prazer o meu, de finalmente contactar com alguns poetas, que leio e releio sempre que recebo mails da Lunaeamigos...
Obrigada por todos estes belos momentos...
Um abraço da sonhadora

a Gata por um Fio disse...

adorei isso"por mais frágil
que seja o sonho da madrugada,
ele sempre se renova ao amanhecer"
lindo e cheio de sabedoria...bjaum