quarta-feira, agosto 30, 2006

Poeminha do abandono na hora crucial

Onde andará o meu anjo da guarda vadio
toda vez que eu sento numa mesa de bar
e me perco insensatamente a sonhar?


© Ademir Antonio Bacca
do livro: “A Tragédia dos Anjos”

4 comentários:

Mônica Montone disse...

O título, em si, Bacca, querido, já é um poema, rs*.... Gostei!

beijos e bom fim de semana,

MM

Anônimo disse...

Provavelmente foi apenas tomar um arzinho, tenho certeza que logo volta! rs..
Bom final de semana.
Beijos,
Andréa Motta

Geórgia disse...

O meu é boêmio, vive de porre. Mas é gente boa. Beijo

Rosangela Aliberti disse...

Ademir todo bom poeta sabe como chamar a atenção depois da sua última postagem no orkut e do seu pedido estou navegando por aqui. Beijo da Rô (com um tempinho... rs*)