segunda-feira, março 07, 2011

ZANOTO: A POESIA BRASILEIRA PERDE SEU GRANDE PROTETOR

Diversos foram os caminhos percorridos por JOSÉ DE SOUZA PINTO e todos eles tiveram como ponto de partida e também de chegada a poesia. Ele e seus alter egos, promovendo a poesia de autores de todo o Brasil, especialmente daqueles não consagrados.
Usando o pseudônimo “ZANOTO”, durante 42 anos escreveu a coluna “DIVERSOS CAMINHOS” no Jornal Correio do Sul, da cidade mineira de Varginha. Gostava do anonimato e raras foram as vezes em que ele teve sua imagem publicada, sendo para muitos dos poetas a quem ele projetou, apenas uma referência escrita no cabeçalho da sua coluna.
Quem mostrou a sua cara pela primeira vez foi o GARATUJA, do qual eu era editor e em cujas páginas ele publicou sua coluna até o último número do jornal. A foto, a mesma deste post, foi batida durante o encontro literário de Registro (SP), em 1990, no qual ele foi homenageado. Foram dias maravilhosos aqueles que passamos juntos, do qual participaram, entre outros: Fernanda Frazão, Dinovaldo Giglioli, Carlos Barros, Jaime Vieira, Carlos Barros, Artur Gomes, Costa K, Tanussi Cardoso e os saudosos Márcio Carvalho e Erenita Postingher.
ZANOTO, fã incondicional de Fernando Pessoa, de música e de um bom vinho (quantas referências ele fez em sua coluna a vinhos maravilhosos de Bento Gonçalves que eu supostamente teria lhe enviado), morreu no dia 21 de janeiro, deixando um vazio difícil de ser preenchido no peito da poesia circulante de todo o país.

6 comentários:

beneditocglima disse...

grande figura o ZANOTO que eu conheci de priscas era do movimento alternativo,a saudade ficará eterna na lembrança de nós escritores

Débora Novaes de Castro disse...

Zanoto! Nossa! Que pena...Um amigo que não conheci pessoalmente, mas pelos seus feitos como divulgador de nossa literatura em sua Coluna DIVERSOS CAMINHOS.Perdemos um amigo em terra; os céus se enriquecem pela sua chegada. Saudades!...

Débora Novaes de Castro disse...

Zanoto! Nossa! Que pena!... A literatura perde um de seus mais ardorosos divulgadores. Não o conheci pessoalmente, mas por fotos, sua coluna Diversos Caminhos e por gentis postagens. Á família, nossos sentimentos. Em nós,um vazio... saudades

Débora Novaes de Castro disse...

Zanoto! Nossa! Que pena!... A literatura perde um de seus mais ardorosos divulgadores. Não o conheci pessoalmente, mas por fotos, sua coluna Diversos Caminhos e por gentis postagens. Á família, nossos sentimentos. Em nós,um vazio... saudades

anita disse...

Diversos Caminhos fez história no circuito alternativo, composto de poetas buscando espaço e reconhecimento.
Fui bem acolhida em sua coluna.
Zanoto fará muita falta por aqui mas vai brilhar no plano espiritual.

Ricardo Alfaya disse...

Oi, Ademir,

Tudo que se diga para homenagear o Zanoto ainda será pouco. Valeu a lembrança. Abcs, Ricardo Alfaya.