sábado, outubro 25, 2008

espólio

quando saí
da tua vida
levei pouca coisa,

uns sonhos
que não deram certo
e um vazio no peito
que não cabia
dentro da mala.

© Ademir Antonio Bacca
do livro “O Relógio de Alice”

4 comentários:

Geórgia disse...

esse poema é lindo! ;-)

LABERINTO ALADO disse...

Qué hermoso poema Ademir!!! Sencillo, pero muuuuy elocuente...
Saludos desde México.

Angélica

Andrea Lucia disse...

Puxa..que coisa linda!!!
Parabéns!!!!
Logo pensei: "Qdo saíste da minha vida, deixaste muita coisa: Desilusão e uma saudade que não cabe dentro de mim, que não cabe no meu coração"
Não fique chateado comigo..É que achei teu poema tão lindo que quis, colocá-lo, no meu modo, o mesmo penar.
Beijos,
Andrea.

Isabel Fonseca disse...

Olá, Ademir. Vi o link do seu blog no da Valéria Tarelho e entrei para ver. Lindo demais esse poema. Estou lendo tudo por aqui. Fiquei com uma dó de você por causa da doação do Pasquim. Sei que deve ter sido difícil. ahaha. Voltarei sempre. Abraços da sua nova leitora. Isabel.