sábado, outubro 25, 2008

do que fazer

Reinventar a vida
sempre que necessário

rever a infância
com os olhos do menino
que nunca encontrou a saída
de dentro de ti

reinventar o tempo
sempre que o relógio
parecer andar depressa demais

rever o verbo
toda vez que a palavra
não consola

ter sempre o sonho
na medida exata da pretensão
porque o poema sabe
da urgência da hora.

© Ademir Antonio Bacca