sexta-feira, abril 20, 2007

veredicto

terão sido
completamente inúteis
as palavras que escrevi
em versos
de se perder a conta,
se não encontrar
a ponta do fio
que desate
todos os meus nós


© Ademir Antonio Bacca

3 comentários:

clevane disse...

A poesia (*), de Ademir Bacca revela a necessidade absoluta do peta não se perder de sua essência, de manter oa nascente de sua verve conectada ao seu self.
Muito lindos , esses versos sequentes e verdadeiros...
Escrevi também em meu blog,caro bacca;
"Essa poesia do Ademir Bacca, poeta muito estimado por seus pares e até por quem não o conhece,de quem somente ouço falar bem, organizador de encontros de poetas e de antologias, você encontra em seu blog e muito mais, dele e de outros autores."
Aproveito para agradecer o link para este meu blog


Clevane

(*)( pubicada em meu blog:http://www.clevanepessoa.net/blog.php?idb=5180

clevane disse...

Meu comentário, Bacca, livre das "clenavices de digitação"(se puder, apague a anterior):
A poesia (*), de Ademir Bacca revela uma necessidade absoluta do poeta não se perder de sua essência, de manter a nascente de sua verve conectada ao seu self.
Muito lindos , esses versos seqüentes e verdadeiros...

Escrevi também em meu blog,caro Bacca:
"Essa poesia do Ademir Bacca, poeta muito estimado por seus pares e até por quem não o conhece,de quem somente ouço falar bem, organizador de encontros de poetas e de antologias, você encontra em seu blog e muito mais, dele e de outros autores."
Aproveito para agradecer o link para este meu blog


Clevane

(*)( pubicada em meu blog:http://www.clevanepessoa.net/blog.php?idb=5180

Anônimo disse...

Escandalosamente sereno, faz de algumas palavras, um caleidoscópio de sonho, alegria, beleza e cor...
Belissimo poetar.

Lara Cardoso