terça-feira, fevereiro 14, 2006

Plantio


Não jogo sementes
por sobre a terra revolta,
num gesto mecânico e cansado
de quem planta
só porque mandaram plantar.

Planto as minhas sementes
como se fosse um ato de amor
e me entrego a este plantio
como se desse gesto dependesse
o meu gozo.

Semeio sonhos
sem medo nenhum
de colher tempestades.
*
Ademir Antonio Bacca
* do livro "A Tragédia dos Anjos"

4 comentários:

Mônica Montone disse...

Muito bonito, Bacca... Me lembrou uma canção que ouvi no congresso de poesia, pela boca de algumas crianças e nunca mais esqueci: "semear o sonho é transformação... Semeador de sonho é, coragem e fé...

Beijos,

MM

zulforum@terra.com.br disse...

Adorei. Estava realmente esperando a qualidade que encontrei. Ficamos na torcida pelo sucesso, agora, virtual.

Ricardo Alfaya disse...

Caro Ademir,

Voltando ao blogue. Além dos textos, gostei muito dos trabalhos de arte fractal. Não me recordo se avisei da outra vez, seu blogue está lincado no meu Nozarte. A entrada é pelo quadro fixo "Nossos Links / Intercâmbio de Links", o primeiro grupo que aparece. O quadro fica à direita da página principal.
Um grande abc,
Ricardo Alfaya

Sonia Ortega disse...

"Semeio sonhos
sem medo nenhum
de colher tempestades."

Eu tambem, Poeta...
Abraco.

Sonia Ortega