segunda-feira, janeiro 31, 2011

da indiferença das cigarras

Cigarras anunciam
um verão que nunca esqueci,
em bosques que já não existem

nunca mais o aroma silvestre
da minha infância

nunca mais o barulho do riacho
e nem noites de vaga-lumes

cigarras cantam indiferentes
às lembranças que o poeta resgata
do seu baú de afetos.

© Ademir Antonio Bacca
do livro “Gritos por dentro das palavras”

3 comentários:

Efigênia Coutinho disse...

Poeta Ademir A. Bacca,
a seu convite aqui estou,
e rendo-me a sua boa poesia,

PARABÉNS,
Efigenia Coutinho

Poeta Renato Douglas disse...

Adorei os seus textos. Visitem e sigam meu blog. Novas colunas, novas fotos, novos textos em http://poetarenatodouglas.blogspot.com

disse...

bonito demais
beijo