sábado, outubro 13, 2007

A FESTA DE BACCA

© ROGERIO SANTOS

na verve do vinho
há tinta de sangue
que jorra no verso

na taça onímoda
o brinde-cidade
da festa de Bacca

sagrada vindima
colheita bendita
tinteiro de Baco

enfeita a fruteira
centelha poema
de átomo ato

( Para o poeta Ademir Bacca )

2 comentários:

SAM disse...

Que bonito! Que esta festa continue próspera e farta!

Beijos

Rejane Romani Rech disse...

Ade,
Já disse Mário de Andrade, no início do século passado, que há uma gota de sangue em cada poema.
Mas sangue é vida; e vinho é comemoração da vida.
Bonita a homenagem que recebeste pelo teu empenho constante em levar a poesia às escolas e à sociedade em geral.
um abraço