quinta-feira, junho 07, 2007

o tempo de espera
é o divisor de águas
entre a paixão e o sonho

quantas lembranças
cabem dentro de uma noite
de saudade?

a palavra move
o moinho da emoção
em giros cadenciados
e lentos

toda espera se dilui
entre as pedras

© Ademir Antonio Bacca
do livro em preparo “Grito por dentro das palavras”

2 comentários:

Jonice disse...

Lindo!

Regina disse...

Olá Ademir,
Lindo poema. Adorei conhecer seu blog.
Beijão,
Regina Lyra