sexta-feira, junho 29, 2007

nascente

água de fonte cristalina,
rio que nasce
bem no meio dos teus olhos
e começa a correr pela face
e vai desaguar silenciosamente
no mar
enquanto a vida perde o sentido
nas páginas do jornal

© Ademir Antonio Bacca

do livro em preparo “Grito por dentro das palavras”

10 comentários:

Antonio Carlos Menezes disse...

Parabéns, poeta!... Excelente o seu Blog. Já está entre os meus favoritos.

Abraços,
Antonio Carlos

Lorreine Beatrice disse...

Olá, Bacca! Há tempo que passo por aqui, mas hoje deixo também meu abraço.

SAM disse...

Aqui estou a me deliciar com o blog do poeta.

Um ótimo fim de semana!

Abraço

karla leopoldino disse...

Ademir, grande poeta:

atualizado em noite fria, seus poemas, suas rimas, chegam para aquecer nossos corações...

abraços diretamente das montanhas do Espírito Santo (onde o frio também está intenso...) !

karla leopoldino

A Gata por um Fio disse...

a vida perde mesmo o sentido nas páginas do jornal...bjaum

Daniel O. Requelme disse...

Corre un hilo de agua por mis pomulos cada añoranzas de la mulata de Rio…

Gracias por invitarme a tu blog.

Un placer. Divertido recorrido en excelente portuñol

Daniel O. Requelme

Córdoba - Argentina


www.danielrequelme.com.ar

Edna B. disse...

Bom dia Caro Poeta
foi um prazer encontrar um blog com conteúdo tão interessante. Gostei muito dos seus escritos e vou add aos meus favoritos se me permitir.
abraços, votos de um bom dia

Izelda Regina disse...

Caro poeta, bel poema, sempre que venho aqui encho minha alma de poesia.

Fabiano Franz disse...

Muito bons seus trabalhos! Gostaria de indicar um site para todos que gostam de escrever:

literar.org

Bom proveito, um abraço!lowdigul

Edson Luz disse...

Ademir, valeu pela visita, continue passando por lá. Esses dias não tenho escrito nada, mas estou vontando com força total.

Viva a poesia!!!