domingo, setembro 17, 2006

2 comentários:

Rejane Romani Rech disse...

Ade,
É um requinte quando imagem e palavras se completam.
Este é um poema para realmente "permanecer".
Mas ele contrasta muito com o teu

Velas ao vento

portos
já tive tantos para ancorar

mas o canto das sereias
sempre me arrastou
de volta
pro meio do bar

braços já tive tantos
para chegar

mas poetas não nascem
para simplesmente ancorar.

Ah, esses poetas às vezes confundem seus leitores.
Abraço
Rejane

Anônimo disse...

Adoro este poema....
Alias, com o está o Congresso? Muita festa? Muiittaa poesia?? Muiitooo vinho??? Tenho a certeza de que está o máximo! Saudades, Su