quarta-feira, novembro 03, 2010

o rio dos meus olhos

o rio
que agora banha
meus dias,
tem o sal
de muitas lágrimas
misturado a suas águas

tanta vida que se foi,
acordes dispersos no ar

sonhos que o vento levou
em madrugadas profanas

a água
que alimenta
o rio dos meus olhos
move o moinho da saudade
na noite que não acaba

toda paixão
que não tem
porto seguro
naufraga
na entrada do cais

© Ademir Antonio Bacca
da antologia “Poesia do Brasil” – Volume 11

4 comentários:

walnelia disse...

Adorei!!
Querido Bacca,teu Blog está maravilhoso!

MARTINS PESCADOR disse...

E um sonho profanado pela madrugada, às vezes culpa, às vezes não culpa nada.

Camila Senna disse...

A paixão é mesmo inspiradora, quem a conhece, sabe exatamente o que o coração sente, como o corpo reage, e o que a alma exala.

Adorei, Ademir Bacca.

Shalom.*

coração de açúcar disse...

..no entanto, se o amor for demais os braços se tornam remos ...