sábado, fevereiro 11, 2012

nostalgia

um velho acendedor de lampiões
perambula em minha insônia
por madrugadas que nunca vivi
a iluminar velha lembranças
que não desgrudam de mim

© Ademir Antonio Bacca

2 comentários:

Sérgio Araujo / Chico Araujo disse...

Bacca, como poetas somos tão à flor da pele, somos tão de intensa sensibilidade, que até saudade do que não vivemos acende em versos sopros de nossa existência.

Abraço do Chico.

Ana Carolina disse...

Que lindo, Bacca!
bj
AC